NORTE RS - -
   Cadastrar          Login
  Icone Facebook Norte RS Icone Instagram Norte RS Icone Contato Norte RS
Logo Norte RS
 

Publicidade Norte RS

Eficácia da vacina contra HPV é maior quando aplicada entre 9 e 14 anos

Data da Publicação da Notícia : 06/08/2019 - 09:55

 
Foto Notícia Geral

A vacinação é a melhor forma de prevenir doenças, apesar do desconforto da agulha para alguns. Mas é importante entendermos que a “picadinha” deve ser parte da nossa rotina, sendo fundamental para evitar doenças graves, como por exemplo, o câncer do colo do útero ou de pênis, que na maioria dos casos, são provocadas pelo HPV (vírus do papiloma humano).

A infecção provocada pelo vírus ataca, especialmente, as mucosas oral, genital e anal. O HPV também está relacionado com cânceres de boca, garganta e ânus.

A vacina contra o HPV encontra-se atualmente disponível em nossa Unidade de Saúde, e é ofertada a meninas de nove a 14 anos de idade (14 anos, 11 meses e 29 dias) e para meninos de 11 a 14 anos de idade (14 anos, 11 meses e 29 dias), com esquema vacinal de duas doses, com intervalor de seis meses.

Confira alguns esclarecimentos sobre a vacina:

Como a vacina contra HPV funciona?

Estimulando a produção de anticorpos específicos para cada tipo de HPV. A proteção contra a infecção vai depender da quantidade de anticorpos produzidos pelo indivíduo vacinado, a presença destes anticorpos no local da infecção e a sua persistência durante um longo período de tempo.

Por que o Ministério da Saúde estabeleceu a faixa-etária de 9 a 14 anos para a vacinação?

Nas mulheres entre 9 a 14 anos de idade não expostas aos tipos de HPV 6, 11, 16 e 18, a vacina é altamente eficaz, induzindo a produção de anticorpos em quantidade dez vezes maior do que a encontrada em infecção naturalmente adquirida num prazo de dois anos.

A época mais favorável para a vacinação é nesta faixa etária, de preferência antes do início da atividade sexual, ou seja, antes da exposição ao vírus.

Estudos também verificaram que nesta faixa etária a vacina HPV quadrivalente induz melhor resposta quando comparada em adultos jovens, e que as jovens vacinadas sem contato prévio com HPV têm maiores chances de proteção contra lesões que podem provocar o câncer uterino.

A importância da inclusão dos meninos na vacinação contra o HPV é reforçada por estudos que mostram que a inserção de meninos na vacinação contra o HPV incrementa a vacinação das meninas, reduz os desfechos relacionados ao HPV e, além disso previne os canceres de pênis, ânus, boca e orofaringe e contra as verrugas genitais. Por serem os responsáveis pela transmissão do vírus para suas parceiras, ao receber a vacina estão colaborando com a redução da incidência do câncer de colo de útero e vulva nas mulheres.

Quantas doses da vacina contra HPV são necessárias para a imunização?

Cada adolescente deverá tomar duas doses para completar a proteção, sendo que a segunda, deverá ser administrada seis meses depois da primeira.

A vacina contra HPV substituirá o exame de Papanicolaou?

Não. É importante lembrar que a vacinação é uma ferramenta de prevenção primária e não substitui a detecção precoce do câncer do colo do útero em mulheres na faixa etária entre 25 e 64 anos de idade. Assim, a vacinação neste público-alvo, só terá recomendação para o rastreamento quando atingirem a faixa etária preconizada para o exame Papanicolau ou que já tiverem vida sexual ativa.

É imprescindível manter a realização do exame preventivo (exame de Papanicolau), pois as vacinas protegem apenas contra dois tipos oncogênicos de HPV, responsáveis por cerca de 70% dos casos de câncer do colo do útero. Ou seja, 30% dos casos de câncer causados pelos outros tipos oncogênicos de HPV vão continuar ocorrendo se não for realizada a prevenção secundária, ou seja, pelo rastreamento (exame Papanicolau).

É fundamental o rastreamento de cânceres em ânus, boca, orofaringe, entre outros, que podem ser detectados em mulheres e homens de maneira precoce.

Mesmo após receber a vacina contra HPV será necessário utilizar preservativo durante a relação sexual?

Sim, pois é imprescindível manter a prevenção contra outras doenças transmitidas por via sexual, como HIV, sífilis, hepatite B, etc.

A vacina contra HPV pode ser administrada junto com outra vacina?

A vacina HPV pode ser administrada simultaneamente com outras vacinas do Calendário Nacional de Vacinação do PNI, sem interferências na resposta de anticorpos a qualquer uma das vacinas. Quando a vacinação simultânea for necessária, devem ser utilizadas agulhas, seringas e regiões anatômicas distintas.

Vacinação contra o HPV, protege o futuro de quem você mais ama!


Publicidade 660-110
 

Galeria
 
 
TAGS:
CATEGORIA: Variedades
Fonte: Assessoria de imprensa - Barra Funda
Colunista:Perfil NorteRS
Arquivo:
Visualizar arquivo cadastrado

Voltar ao topo
 


Publicidade Norte RS
Publicidade Norte RS
Publicidade Norte RS
Publicidade Norte RS

 

Unimed Noroeste/RS promove primeira edição do Clube da Gestante em Panambi

 

Grupo de diabéticos da ESF Amaral participam da atividade sobre Alimentação no Controle da Glicemia

 

Seleção brasileira recua para 3ª posição no ranking masculino da Fifa

VER TODAS AS NOTÍCIAS +


FAÇA O SEU COMENTÁRIO

Seu endereço de email não será publicado

MAIS VISUALIZADAS

 

Petrobras reajusta preço da gasolina em 1,07% no segundo aumento do mês

 

Começam amanhã convenções para escolha dos candidatos a presidente

 

Homem é condenado a 40 anos de prisão por matar os pais para ficar com a herança

VER TODAS AS NOTÍCIAS +


Publicidade Norte RS
Logo Norte RS
Icone Facebook Icone Instagram Icone Contato


Icone Base Contato ENTRE EM CONTATO
 
 

NORTE RS
(54)9942-6757
(55)8442-4962
atendimento@norters.com.br

Icone Base Menu MENU NORTE RS
 
VARIEDADES
ECONOMIA E POLÍTICA
VÍDEOS
SAÚDE E BEM-ESTAR
ENTRETENIMENTO
POLICIAIS
 

ESPORTES
COLUNISTAS
OBITUÁRIO
GASTRONOMIA
EDUCAÇÃO
ESPECIAIS
CARIJÓ DA CANÇÃO GAÚCHA
 
 
NORTE RS. Todos os direitos reservados.
Logo Estúdio Sul