NORTE RS - -
   Cadastrar          Login
  Icone Facebook Norte RS Icone Instagram Norte RS Icone Contato Norte RS
Logo Norte RS
 

Publicidade Norte RS

Uma doença, quatro histórias: conheça quatro barrafundenses que venceram o câncer de mama

Outubro é o mês de conscientizar as pessoas sobre a prevenção ao câncer de mama

Barra Funda

Data da Publicação da Notícia : 26/10/2018 - 09:40

 
Foto Notícia Geral

Outubro é o mês de conscientizar as pessoas sobre a prevenção ao câncer de mama. São realizadas inúmeras campanhas, com foco principal nas mulheres. E não é por menos, esse é o segundo tipo de câncer mais comum entre o público feminino, ficando para trás apenas do câncer de pele não melanoma.

Para encerrar o mês, o LEO Clube Barra Funda, contatou quatro mulheres que venceram esta luta, são elas: Carmen Magro, Joira Fátima Tomasi, Marcia Balista Nascimento e Zilda Maria Zandoná Castoldi. A proposta dessa campanha foi de que as barrafundenses contassem um pouco sobre a sua vida, aprendizados da doença e até deixassem uma mensagem para quem está lutando contra a doença.

É diante de histórias de luta como essas que provocam a reflexão sobre o quanto lutar pela vida é importante e, acima de tudo, o quanto é preciso zelar pela saúde diariamente, os exames podem mudar o seu destino.

Confira as histórias:

Carmen Gentilini Magro

Idade atual: 75 anos

Com que idade descobriu o câncer? 47 anos

Como descobriu? Porque tinha dor no braço e percebi um caroço na mama

Qual foi a maior dificuldade nesse período? O tratamento era feito na capital e naquela época tinha que ser tudo particular, o fator financeiro dificultou bastante.

Se você pudesse dar um conselho para alguém que descobriu há pouco o câncer de mama, qual seria? Que procure um médico, não deixe se fazer o tratamento, pois mesmo com a dificuldade financeira que tinha a anos atrás, consegui me curar do câncer. Pois fui em busca de tratamento, fiz a cirurgia e hoje vivo sem câncer, venci o câncer com coragem e determinação.

Joira Fátima Tomasi

Idade atual: 45 anos

Com que idade descobriu o câncer? 44 anos

Quanto tempo de tratamento? O tratamento teve a duração de 1 ano e 2 meses

Como descobriu? Descobri o câncer, fazendo a ecografia

Qual foi a maior dificuldade nesse período? O tratamento, em especial o as sessões de quimioterapia

O que ou quem mais te deu força para encarar a doença? Em primeiro lugar quem me deu mais força foi minha família, que estiveram do meu lado e me apoiaram nessa luta.

Márcia Balista Nascimento

Idade atual: 47 anos

Com que idade descobriu o câncer? 43 anos

Quanto tempo de tratamento? Foram 4 anos de tratamento

Como descobriu? Descobri o nódulo pelo autoexame de mama

Qual foi a maior dificuldade nesse período? Acredito que tenha sido o tratamento, principalmente a quimioterapia e as reações que tive.

O que mudou na sua vida após descobrir a doença? Muita coisa, a importância e a valorização da vida, que cada dia é único e tem seu valor

Zilda Maria Zandoná Castoldi

Idade atual: 64 anos

Com que idade descobriu o câncer? Eu estava com 50 anos de idade quando foi diagnosticado a presença de microcalcificações malignas na mama esquerda

Quanto tempo durou o tratamento? Foram 5 anos de tratamentos (cirurgias, radioterapia) desde o diagnóstico até o mėdico constar que poderia ter alta do tratamento específico do câncer. Ainda hoje continuo fazendo acompanhamento com exames de rotina e visitas ao oncologista.

Qual foi a maior dificuldade nesse período? A maior dificuldade foi entender e aceitar que eu estava com câncer, porque quando se fala em câncer a primeira ideia que passa pela cabeça é a morte. Ainda mais naquele tempo em que a medicina, a respeito do câncer, não era tão evoluída como hoje. Isso abala a estrutura física, emocional e psicológica da pessoa. O apoia da família e amigos é importante para fortalecer a fé e aumentar a auto estima.

Se você pudesse dar um conselho para alguém que descobriu há pouco o câncer de mama, qual seria? Dá um desespero... Foram muitas e muitas lágrima derramadas escondidas, procurando não deixar transparecer a tristeza para toda a família. Mas em meio a tantas inquietações não perdi a fé e a força de lutar. Iniciava a corrida em busca de uma conquista de cura, de vida. A luta começava e havia duas possibilidades: vencer ou vencer. E eu venci...já se passaram 14 anos e não tive recidiva.

Sou feliz e vivo plenamente minha vida, sou uma das mulheres que muito tem a agradecer pela vida. Hoje posso dizer com toda a confiança que é possível vencer. É preciso encarar, sem se deixar abater. Ter acompanhamento médico, força interior e alimentar o instinto de sobrevivência.

Quando se passa por algo assim a vida ganha outra dimensão. Enfrentar uma doença como o câncer, nos torna mais humano, mais tolerante e sensível com nossos semelhantes. Sou uma vencedora.

Obrigada pela oportunidade de compartilhar um pouco de minha vivência.


Publicidade 660-110
 

Galeria
 
 
TAGS:
CATEGORIA: Saúde e Bem Estar
Fonte: Assessoria de imprensa - Barra Funda
Colunista:

Voltar ao topo
 


Publicidade Norte RS
Publicidade Norte RS
Publicidade Norte RS
Publicidade Norte RS

 

Em 2018, mais de 20 milhões de crianças não foram vacinadas no mundo

 

Composto de planta da Mata Atlântica combate leishmaniose e Chagas

 

Unimed Noroeste/RS proporciona oficina de Culinária Afetiva para cozinheiras e auxiliares

VER TODAS AS NOTÍCIAS +


FAÇA O SEU COMENTÁRIO

Seu endereço de email não será publicado

MAIS VISUALIZADAS

 

Homem é morto a tiros em Palmeira das Missões

 

Desfile Semana da Pátria

 

Amzop define prioridades para missão internacional

VER TODAS AS NOTÍCIAS +


Publicidade Norte RS
Logo Norte RS
Icone Facebook Icone Instagram Icone Contato


Icone Base Contato ENTRE EM CONTATO
 
 

NORTE RS
(54)9942-6757
(55)8442-4962
atendimento@norters.com.br

Icone Base Menu MENU NORTE RS
 
VARIEDADES
ECONOMIA E POLÍTICA
VÍDEOS
SAÚDE E BEM-ESTAR
ENTRETENIMENTO
POLICIAIS
 

ESPORTES
COLUNISTAS
OBITUÁRIO
GASTRONOMIA
EDUCAÇÃO
ESPECIAIS
CARIJÓ DA CANÇÃO GAÚCHA
 
 
NORTE RS. Todos os direitos reservados.
Logo Estúdio Sul