NORTE RS - -
  Icone Facebook Norte RS Icone Instagram Norte RS Icone Contato Norte RS
Logo Norte RS
 

Publicidade Norte RS

Eleições e visão de Estado   

O voto é um direito do cidadão

Data da Publicação da Notícia : 17/09/2018 - 15:29

 
Foto Notícia Geral

O voto é um direito do cidadão. É o instrumento mais eficaz que o povo tem para reeleger representantes que cumprem bem a missão de servir à polis ou de mandá-los para casa quando eles driblam suas funções. A lembrança se faz necessária nesse momento em que o eleitorado começa a  escolher os quadros que ganharão seu voto. 

Ocorre que esta eleição se apresenta como uma das mais importantes de nossa historia. De um lado, trata-se da oportunidade de escolher a pessoa mais capaz de comandar o país, governantes dos Estados que o compõem e  representantes na esfera parlamentar. De outro, trata-se de eleger os núcleos ideológicos que definirão políticas de Estado.  

Portanto, no caso da eleição para a Presidência, o pleito leva em consideração uma visão de mundo, o modo como os protagonistas  enxergam as tarefas do Estado, o mercado e a economia (cunho mais estatal e/ou mais privado), programas sociais, infra-estrutura, potenciais e riquezas naturais etc. Numa tentativa de sumarizar  tais visões,  chega-se às três principais correntes políticas que governam os Estados modernos: o socialismo, a social-democracia e o capitalismo.  

De maneira genérica e sem aprofundamentos (por não ser o objeto desse texto), pode-se dizer que o primeiro tem seu eixo fincado na transformação social por meio da distribuição de riquezas e da propriedade, abarcando a luta de classes (a revolução do proletariado), a extinção da propriedade privada, a igualdade de todos etc. Na teoria marxista, o socialismo encarna a fase intermediária entre o fim do capitalismo e a implantação do comunismo.

O capitalismo se ancora na propriedade privada e na acumulação do capital, tendo como leit motiv a busca do lucro. Portanto, constitui o contraponto do socialismo. Já a social-democracia abriga a intervenção do Estado na economia (distribuição de renda mais igualitária) e nos programas sociais, sob o escopo do Bem-Estar Social e, no território político, dá guarida à democracia representativa. Emerge como sistema que combina aspectos do socialismo (intervenção do Estado) e do capitalismo (propriedade privada).

O fato é que a derrocada do socialismo clássico, a partir do desmantelamento da URSS e a queda do Muro de Berlim, em 1989, estendeu o território da social-democracia, sendo este o modelo de Nações democráticas, principalmente no continente europeu.

Por nossas plagas, o socialismo tem sido badalado por partidos, a partir do PSB. Alguns, como o PT, chegam a exagerar na defesa do socialismo quando, na verdade, o que fazem é adotar a prática social-democrata ou seguir a trilha de um “socialismo-moreno”, aquele que Leonel Brizola e Darcy Ribeiro pregavam: o Estado com o controle de setores da economia (petróleo e energia), e a iniciativa privada com o comércio, a indústria e os serviços.

O que vemos no ideário dos partidos, aliás, é uma identificação com a social-democracia, com ênfase a alguns aspectos, como o repúdio à privatização de empresas estatais (como prega o PT). Acirra ânimos, isso sim, o uso da máquina do Estado, como fez o PT em 13 anos de mando. Política de terra arrasada: “para o petismo, pão; para os adversários, pau; nós, os mocinhos; outros, os bandidos”.Haddad, a propósito, é um teórico  que se declara marxista. Eleito, deixaria seu marxismo a ver navios. Mas o PT não abandonará o palavrório socialista.

Já na outra banda do arco ideológico aparece Bolsonaro, candidato de um Partido Social-Liberal, arremedo de costela da social democracia. Ex-capitão do exército, simboliza repressão, defende o armamentismo, é antídoto contra tudo que remeta ao comunismo. Nem mesmo é defensor rígido do capital, eis que em seu pensamento viceja uma seara nacionalista e um Estado com controle de áreas da economia, pensamento atenuado por seu guru, Paulo Guedes.

No meio, Ciro, Alckmin e Marina, cada qual puxando o Estado mais pra lá ou mais pra cá. Resumo: seja qual for o vencedor, a real politik brasileira imporá barreiras intransponíveis para a instalação de uma ideologia radical. Disso não devemos ter receio.

Publicidade 660-110
 
 
TAGS:
CATEGORIA: Colunistas
Fonte: Gaudêncio Torquato
Colunista:

Voltar ao topo
 


Publicidade Norte RS
Publicidade Norte RS
Publicidade Norte RS
Publicidade Norte RS

 

Negros no Oscar e incentivo social

 

A comunicação globalizada como caminho para o crescimento individual

 

A máquina do desenvolvimento e a graxa da corrupção

VER TODAS AS NOTÍCIAS +


FAÇA O SEU COMENTÁRIO

Seu endereço de email não será publicado

MAIS VISUALIZADAS

 

Goes Locações, especialista em aluguéis imobiliários

 

PRF apreende segundo veículo com cerca de 80 mil reais em multas no mesmo dia

 

Veículos se envolvem em acidente na manhã desta terça-feira

VER TODAS AS NOTÍCIAS +


Publicidade Norte RS
Logo Norte RS
Icone Facebook Icone Instagram Icone Contato


Icone Base Contato ENTRE EM CONTATO
 
 

NORTE RS
(54)9942-6757
(55)8442-4962
atendimento@norters.com.br

Icone Base Menu MENU NORTE RS
 
VARIEDADES
ECONOMIA E POLÍTICA
VÍDEOS
SAÚDE E BEM-ESTAR
ENTRETENIMENTO
POLICIAIS
 

ESPORTES
COLUNISTAS
OBITUÁRIO
GASTRONOMIA
EDUCAÇÃO
ESPECIAIS
CARIJÓ DA CANÇÃO GAÚCHA
 
 
NORTE RS. Todos os direitos reservados.
Logo Estúdio Sul